top of page
  • Foto do escritorAchei Pneus

Acidentes de trânsito: quais os mais comuns nas rodovias brasileiras

Atualizado: 2 de mai.

Não é de hoje que as rodovias brasileiras acompanham diariamente acidentes de trânsito. Uma análise de dados das ocorrências registradas pela PRF em todo o Brasil, apontou que foram registradas mais de 67 mil ocorrências nas estradas durante 2023, um aumento de 11,7% em relação ao ano de 2022. 


Conheça as principais causas de acidentes no Brasil

Um cenário que também vem sendo alto para o primeiro trimestre de 2024, que já conta com mais de 11 mil ocorrências, com mais de 27 mil pessoas envolvidas.


Entenda mais sobre o cenário nas rodovias brasileiras e o que fazer caso se envolva em algum acidente!


O que você vai ler sobre responsabilidades legais do motorista:


Os acidentes de trânsito são uma realidade no nosso país e podem ser evitados. É muito importante que os condutores tenham uma direção mais defensiva e que minimizem os riscos ao máximo na hora de dirigir em rodovias e estradas. Por conta da alta velocidade de trânsito nas principais rodovias, há um menor tempo de reação em caso de eventuais acidentes, por causa disso é pedido maior cautela para prevenção desses riscos.


Dados estatísticos: qual o perfil de motorista que mais sofre acidentes de trânsito

Homens, 40 anos e que eram os condutores dos veículos. Esse é o grande perfil de motorista que mais sofreu acidentes nas rodovias do país nos últimos meses. Reflexo dos cenário do Brasil em relação a direção e habilitação, que confirma a superioridade do público masculino em todos os índices: números de habilitados, acidentados, percentual de mortes e outros.


O Brasil, atualmente, demonstra um cenário muito expressivo na quantidade de condutores de veículos, o número atualizado em 2024 (dados de janeiro) é de 82.620.464 motoristas habilitados, um valor correspondente a 38% da população nacional.


Assim como o comparativo de habilitações entre o público de motoristas masculinos (64% aproximadamente) e femininos (36%), há uma porcentagem parecida para o número de acidentes: 69,7% dos acidentados são homens, 23,6% mulheres e 6,7% para não informados e ignorados.


De um total de 116.012 homens atingidos nos acidentes, 93.318 (80,43%) eram os condutores dos veículos e estavam numa faixa de idade entre 34 e 43 anos com uma média de 2.066 mortes por ano/idade.


Em resumo, assim como o público que mais dirige, os homens são os motoristas que mais sofrem acidentes. A desatenção, falta de reflexos e imprudência com a velocidade são algumas das principais causas das ocorrências.


O principal perfil dos envolvidos em acidentes

Quais as principais causas de acidentes nas rodovias do Brasil

Segundo análise dos dados referente às informações da PRF, conseguimos delinear os principais motivos que levam a acidentes nas rodovias. Vale ressaltar que, além do motivo principal, existem uma série de motivos e agravantes secundários que corroboram e tornam a situação mais propensa a escalar até um acidente. Entre as causas principais estão:


  • 1. Reação tardia ou ineficiente do motorista (14,5%): A reação do motorista permanece uma das principais causas de acidente. Existem muitos fatores que influenciam nisso: falta de atenção, não saber como se comportar em uma emergência ou estar alcoolizado, que diminui a capacidade de reação.


  • 2. Ausência de reação do condutor (13,7%): Está relacionado ao motivo anterior e apenas enfatiza o quão importante é a atenção na hora de dirigir na estrada, bem como o preparo para lidar com situações de emergência. O tempo de reação em rodovias costuma ser menor nesse tipo de situação pela maior velocidade média dos veículos envolvidos. 


  • 3. Acesso da via sem observar a presença de outros veículos (9,3%): Também relacionado à desatenção, é muito importante prestar atenção no movimento das faixas na hora de entrar em uma via. Isso acontece porque os carros na rodovia geralmente se encontram em alta velocidade e não tem tempo de reação quando outro veículo acessa a via sem sinalizar ou de forma muito repentina. 


  • 4. Deixou de manter a distância do veículo à frente (6,3%): Por questões de segurança, é muito importante que os carros mantenham uma distância entre si quando estiverem em alta velocidade na rodovia. É possível calcular uma distância segura com base na velocidade dos dois veículos. Esse distanciamento é importante para garantir um tempo de reação eficiente e evitar as principais causas de acidente na rodovia.


  • 5. Velocidade alta demais ou incompatível (6,2%):  É importante respeitar a velocidade da via, mesmo em grandes rodovias e trajetos expressos. A alta velocidade é uma das principais causas de acidente pois ela diminui consideravelmente a capacidade e tempo de reação na hora que algum acidente acontece. 


As altas velocidades na rodovia e a desatenção do motorista foram as causas de acidente mais letais e constantes de 2023, indicando um perfil de direção perigoso em relação aos motoristas brasileiros. Por conta disso, atenção redobrada e uma distância segura são cuidados que não podem faltar na hora de dirigir na estrada!


Como esses dados mudaram em 2024? Comparamos os índices

Com os índices de 2023, é válido fazer a comparação desses dados com o primeiro trimestre de 2024. Dessa forma conseguimos entender quais hábitos do motorista brasileiro ainda podem ser corrigidos e em que áreas o trânsito melhorou.


Infelizmente, os hábitos do motorista brasileiro ainda são muito parecidos. Confira abaixo os principais motivos de acidente em rodovias do primeiro trimestre de 2024:


  • 1. Reação tardia ou ineficiente do condutor (14,3%): Ainda a principal causa de acidentes no Brasil, o motorista brasileiro ainda se coloca em situações onde é muito difícil reagir a tempo e de maneira adequada. Por conta disso, essa continua sendo a maneira mais comum de acontecer acidentes nas rodovias brasileiras. 


  • 2. Ausência de reação do condutor (12,7%): Muito relacionado ao primeiro motivo, permanece um dos principais tipos de acidente no Brasil. As causas de ambos estão bastante relacionadas e demonstram um perfil de direção muito imprudente. 


  • 3. Acessar a via sem observar a presença de outros veículos (9,7%): Novamente a desatenção é uma das principais razões de acidente em estradas. O motorista brasileiro continua desatento aos demais veículos na estrada e acaba gerando colisões e outros tipos de acidentes por decorrência disso. 


  • 4. Condutor deixou de manter distância do veículo da frente (7,6%): A distância adequada de um veículo para o outro é algo muito importante para garantir uma direção segura e livre de acidentes. Ainda assim, esse permanece um dos principais motivos de acidente, reiterando a imprudência do motorista brasileiro, que permanece desatento e descuidado na hora de manter uma distância segura na estrada. 


  • 5. Manobra de mudança de faixa (6,3%): A única mudança na lista em comparação com a de 2023, esse é um tipo de acidente relacionado à mudança de faixa em rodovias que, quando feita com desatenção aos veículos na outra faixa, pode ser perigoso. Outro indicador que demonstra o descuido do motorista brasileiro nas estradas. 


Os motivos de acidente mais perigosos em rodovias permanecem similares no primeiro trimestre de cada ano, com uma mudança apenas na quinta posição. Isso demonstra que a direção do brasileiro em estradas e rodovias ainda carece de muita atenção e atitudes mais conservadoras e seguras na hora de viajar. 


Como se portar se estiver envolvido em um acidente de trânsito

Acidentes de trânsito: Quais os principais cuidados na hora de uma batida

O número de acidentes de trânsito parece aumentar cada vez mais, por isso é importante entender qual o papel e responsabilidade dos envolvidos na hora de acionar polícia ou socorro. Entenda quais os primeiros passos a serem seguidos na hora de uma batida e quais os procedimentos adequados para garantir a segurança e bem estar de todos os envolvidos. 


Verifique ferimentos: O passo mais importante é  se certificar de que ninguém está ferido. Caso tenha alguém ferido, independente da gravidade, acione o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) para prestar auxílio e socorro. A polícia também precisa ser comunicada quando há vítimas no acidente, enquanto o boletim de ocorrência (B.O) será feito pelo agente no local. É dever do condutor prestar auxílio às vítimas de um acidente e deixar de fazer isso é um crime previsto no artigo 135 do Código Penal Brasileiro. 


Não obstrua a via: Caso não tenha nenhuma vítima ferida, é muito importante tirar os carros da pista e não obstruir a passagem na via para os outros carros e pedestres. Bloquear a passagem é uma contravenção média que pode render uma multa segundo o Código de Trânsito Brasileiro. Depois de mover os carros adequadamente, é importante anotar a placa do outro veículo e um documento do outro envolvido no acidente. Nem sempre a troca de números pode ser uma boa ideia, então se tiver uma seguradora, repasse o número da mesma para o outro condutor para conduzir a situação de maneira segura e adequada.


Sinalize adequadamente: Novamente, caso alguma vítima esteja ferida no acidente, é importante sinalizar a batida ligando o pisca-alerta e posicionando o triângulo, comumente localizado no porta-malas do carro. É necessário respeitar as leis estabelecidas pelo Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) na hora de posicionar o triângulo também. A distância mínima entre o sinal e a batida deve ser de 30m, mas caso queira garantir que os demais veículos enxerguem a tempo e com clareza, observe o limite de velocidade da pista e siga uma regra de 1km/h por metro. Nesse caso, em uma via de 40 km/h o triângulo pode ficar a 40m da batida. 


Esses são os cuidados mais básicos a serem tomados na hora de um acidente de trânsito. Dependendo da situação, existem outros detalhes que precisam ser levados em consideração. Por exemplo, se o carro não estiver mais em condição de ser movido da pista ou de se locomover, se a vítima está presa em algum lugar e não puder ser movida. Essas são apenas diretrizes comuns a se tomar na estrada em caso de batida.


Como um bom pneu pode ajudar na hora de evitar acidentes na estrada

Como já analisamos através dos dados fornecidos pela PRF, o tempo de reação é uma constante no que diz respeito às características dos acidentes que acontecem em rodovias e estradas brasileiras. Por conta disso, um pneu em bom estado é uma excelente forma de prevenir acidentes desse tipo de natureza.


Pneus com uma banda de rodagem mais larga trazem um contato com a superfície mais uniforme, o que melhora a tração deles na hora de dirigir em estradas. Enquanto isso, pneus carecas sacrificam em muito a estabilidade do veículo, o que impede que o carro ofereça boa responsividade na hora que o condutor precisar realizar uma manobra rápida, dificultando muito a reação à acidentes e outros acontecimentos inesperados na rodovia. 


É recomendado que o carro esteja equipado com pneus que ainda tem uma margem satisfatória de profundidade nos sulcos e que ofereçam boa tração e estabilidade mesmo em alta velocidade. Junto disso, uma excelente aderência também é essencial para garantir que o pneu não vai fazer o carro derrapar, o que pode provocar novos perigos na hora de dirigir. Para encontrar um modelo de alta qualidade e na medida certa do seu carro, confira nosso site para as melhores opções!


Gostou do conteúdo?


Se ainda ficou alguma dúvida, deixe nos comentários que auxiliamos você. Ou, se preferir, fale conosco pelo WhatsApp (47) 9999-5584 e converse com um de nossos especialistas!


Não deixe de acompanhar nossas redes sociais: Facebook e Instagram. 📲

54 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page