top of page
  • Foto do escritorAchei Pneus

Medidas de segurança no trânsito: o que foi feito para reduzir acidentes?

No Brasil, os acidentes de trânsito são uma das principais causas de morte. Em 2022, por exemplo, mais de 33 mil brasileiros perderam a vida por decorrência de algum acidente na hora de dirigir. Por conta disso, há uma preocupação por parte dos órgãos federais para reduzir esse número, uma vez que o transporte rodoviário é um dos mais proeminentes no país.


Profissionais cuidando da segurança no trânsito

Existe uma série de medidas sendo tomadas para aumentar a segurança nas ruas e estradas, vamos identificar o que está sendo feito para preservar a vida no trânsito e como podemos melhorar esses índices. O que você vai ler:


Quais medidas estão sendo tomadas para reduzir os acidentes de trânsito?

A preocupação com a segurança na mobilidade afeta diferentes órgãos e entidades, por diferentes motivos. O transporte rodoviário é uma das principais maneiras de movimentar bens e insumos pelo país, então uma jornada mais segura é uma forma de economia e eficiência logística para empresas, além de preservar a vida de motoristas e pedestres envolvidos em acidentes na estrada. Não só isso, há uma preocupação por parte do governo em promover uma maior segurança para o povo brasileiro na hora de viajar e se locomover nas estradas.


Por conta dessas múltiplas preocupações, uma série de medidas vêm sendo tomadas por meio de diferentes ângulos para garantir uma melhor experiência de dirigir e confiança. Algumas delas são:


  • Áreas de escape nas rodovias: algumas estradas no Brasil contam com as áreas de escape ou “caixas de brita”, como também são conhecidas. Essas zonas de refúgio servem para auxiliar caminhões e outros veículos que estão sem freio, principalmente na hora de descidas e curvas acentuadas, onde há maior chance de acidentes por conta da alta velocidade e falta de frenagem. Essas áreas de escape contam com uma camada profunda de argila expansiva, que oferece grande aderência ao mesmo tempo que também deixa o caminhão afundar, para garantir uma frenagem à base de aderência e fricção com a argila.


  • Capacitação em primeiros socorros: uma maneira de reduzir as fatalidades por conta de acidentes de trânsito é através do treinamento correto na hora de tratar e atender pessoas que se envolveram em um acidente. Por conta disso, algumas empresas, como a iFood, por exemplo, vêm adotando uma postura de treinamento e capacitação de motoristas para socorrer de maneira adequada motoqueiros e entregadores que se envolveram em um acidente de alguma forma. Essa iniciativa se chama “Anjos de Capacete” e oferece treinamento prático e teórico ministrado por profissionais do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e órgãos de trânsito municipais e regionais também, com o objetivo de preparar entregadores a socorrer motociclistas e outras vítimas de acidente de trânsito.


  • Novas legislações: o governo brasileiro implementa novas regras e leis de trânsito corriqueiramente para tornar a mobilidade mais segura, que incluem normas de direção, equipamentos ou fiscalização. Essas são medidas que visam garantir um cotidiano mais seguro e constantemente monitorado, impedindo carros irregulares de andar e apresentar riscos para o motorista e os demais agentes terceiros que podem estar envolvidos nesse tipo de acidente.


  • Conscientização: inúmeras campanhas têm sido feitas acerca da conscientização, uma vez que o motorista é o principal responsável pela segurança no trânsito e quem tem mais poder em evitar um acidente. Por isso, há uma série de materiais voltados para instruir, relembrar e incentivar os motoristas a tomarem atitudes mais seguras e prudentes na hora de dirigir. Campanhas como Maio Amarelo existem para que os motoristas fiquem cientes dos riscos no trânsito e assumam posturas mais responsáveis na hora de dirigir, com atenção. 


  • Pnatrans: também chamado de “Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito”, é uma iniciativa do governo brasileiro para planejamento de um curso de ação para tornar o trânsito mais seguro e reduzir os riscos do mesmo. Conta com uma série de objetivos e ações a serem realizadas até 2030, o plano foi iniciado em 2021 e tem como objetivo trabalhar seis pilares: gestão da segurança no trânsito, vias mais seguras, segurança veicular, educação para o trânsito, atendimento às vítimas e também a fiscalização, bem como a normatização das leis. O Pnatrans pode ser encontrado de maneira mais detalhada no site do governo.


Existem diversas ações sendo tomadas também a nível regional para remediar problemas específicos de cada cidade e os hábitos dos motoristas nessas regiões. Apesar dos índices de acidente altos, o Brasil possui uma grande preocupação com o tema de segurança no trânsito, com uma série de medidas e campanhas acerca do tema.


Qual o impacto que essas medidas estão mostrando na preservação da vida?

Desde a implementação do Pnatrans em 2021, o Brasil tem apresentado crescimento gradativo acerca do combate aos acidentes de trânsito, com uma redução modesta do número de óbitos em 2023. Apesar disso, as medidas previstas pelo plano seguem sendo implementadas e podemos identificar alguns avanços, como o trabalho conjunto do governo e dos representantes do setor privado em prol das metas e ações do Pnatrans, com o intuito de atingir uma maior transparência em relação ao acompanhamento das propostas do plano. 


A instalação de áreas de escape nas rodovias vem se mostrando uma medida eficiente, como apresentado pela Arteris, empresa que cuida da gestão e manutenção da BR-376 e BR-116, dois trechos que constam com áreas de escape instaladas. Segundo a empresa, mais de 900 vidas foram salvas por conta dessas pistas especiais apenas no ano de 2023. Esses dispositivos funcionam como uma faixa de acesso a uma caixa repleta de argila expansiva, similar às caixas de brita encontradas em pistas de automobilismo. O objetivo é que elas façam a frenagem de caminhões e carros com problema no freio através do atrito com a argila de forma segura.


Além de medidas mais práticas e diretas, também é muito importante que haja um trabalho de conscientização, como a campanha nacional Juntos Salvamos Vidas, idealizada pelo CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito). Esse projeto visa reunir educadores de trânsito e colocá-los em contato uns com os outros para encontrar maneiras de disseminar as principais medidas de segurança. O objetivo do órgão, bem como outros como a PRF (Polícia Rodoviária Federal), Detran de todos os estados e DER (Departamento de Estradas de Rodagem) é reduzir em 50% o número de acidentes de trânsito até 2028, meta que visa salvar ao menos 86 mil vidas no Brasil nesse período.


Para ajudar no processo de conscientização, o governo tem feito uma série de campanhas de divulgação e planejamentos sobre o tema. Com o intuito de normatizar e fiscalizar as práticas de trânsito, mais dispositivos de monitoramento foram instalados e maior vigilância de maneira geral foi proposta.


Os principais problemas e causas de acidente no trânsito brasileiro

Uma das principais maneiras de remediar os danos e riscos provenientes de acidente de trânsito é mapear as principais causas e tomar uma abordagem mais focada nos principais motivos que levam a essas fatalidades. O perfil de acidente em cada tipo de ambiente difere muito, por isso trouxemos dados referentes aos dois principais lugares onde estão concentrados os acidentes de trânsito no país: nas rodovias federais e estaduais (63% das vítimas) e em áreas urbanas (35% das vítimas). Excluindo assim os ambientes com menor número de acidentes e pessoas acidentadas, como zonas rurais, por exemplo.  


Perfil e tipos de acidente nas estradas e rodovias

É nas rodovias estaduais e federais onde estão o maior número de acidentes de trânsito e também o maior número de fatalidades. Isso acontece por conta dos veículos estarem em alta velocidade nessas vias, diminuindo a janela de reação e necessitando de uma maior distância entre os veículos, que não é respeitada. Por conta disso, os acidentes e suas causas têm um perfil diferente do que é observado dentro da cidade.


  • Reação tardia ou ineficiente: esse é o principal motivo de acidentes em rodovias e está relacionado com a imprudência do motorista, mas é acentuado pela alta velocidade da pista, que oferece pouca margem de reação ao motorista. Por conta disso, quando surpreendido por uma situação perigosa, não consegue reagir de maneira eficiente a tempo de evitar um acidente.


  • Deixou de manter a distância entre o veículo da frente: o segundo motivo é uma das principais maneiras de remediar a primeira causa. Dirigir com a distância adequada do veículo à frente é uma ótima maneira de garantir tempo adequado para realizar uma manobra evasiva e evitar um acidente. Infelizmente, a distância é rotineiramente desrespeitada, criando situações perigosas com maior facilidade. 


  • Manobra de mudança de faixa: na hora de trocar de faixa, é necessário atenção redobrada e devida sinalização com antecedência na hora de realizar a manobra para evitar acidentes. Entretanto, por conta da alta velocidade, muitas vezes esse movimento não é feito com a devida precaução, gerando acidentes graves.


Perfil e tipos de acidente nas áreas urbanas

A mobilidade urbana — segundo principal lugar onde acontecem acidentes de trânsito — traz uma série de preocupações constantes que não são tão rotineiras em rodovias. Precaução com pedestres, por exemplo, são muito importantes e constantes na hora de dirigir na cidade. Isso afeta diretamente os principais acidentes e causas dos mesmos. Segundo o DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes), os principais acidentes em área urbana são:


  • Saída de pista: trajeto indevido por parte do motorista, que troca de faixa ou de pista de maneira indevida ou sem sinalização adequada, causando acidentes.


  • Batida em objeto fixo: muito comum na hora de estacionar ou manobrar, acontece quando há pouca atenção aos arredores do veículo por parte do motorista, colidindo com objetos estáticos como postes, placas e objetos na calçada.


  • Atropelamento: quando o motorista demonstra pouca atenção aos pedestres, não percebe a tentativa de atravessar a rua do mesmo e acaba colidindo com a pessoa. 

Todos são responsáveis pela segurança no trânsito

Como podemos ter mais segurança no trânsito?

Considerando o perfil de acidentes tanto das rodovias quanto de áreas urbanas, percebemos que um dos principais motivadores para acidentes é a desatenção do motorista, que pode ser ainda pior quando debilitada por conta da ingestão de álcool e outras substâncias toxicológicas.


Além disso, uma direção mais prudente, com maior respeito às leis de trânsito e atenção na hora de sinalizar devidamente as manobras na hora de dirigir também é uma medida que pode trazer benefícios ao trânsito e ajudar a preservar mais vidas. A SENATRAN (Secretaria Nacional de Trânsito) sugere algumas práticas para tornar o trânsito mais seguro:


  • Respeitar as leis de trânsito: é muito importante conhecer as leis de trânsito e agir adequadamente, obedecendo limites de velocidade e sinalização. Além disso, seguir normas de segurança e respeitar faixas de pedestre e placas. 


  • Atenção e cuidado na hora de dirigir: evitar distrações é crucial para manter a devida conduta no trânsito. Por isso, é importante manter o foco longe de celulares e outros dispositivos. Dessa forma, é mais fácil ficar concentrado no trânsito e tomar decisões prudentes. 


  • Reduzir a velocidade em áreas escolares e de maior movimento de pedestres: quando estiver andando em áreas onde há muita movimentação de pedestres ou áreas escolares, onde há um grande fluxo de crianças, mantenha a velocidade reduzida e segura. 


  • Não dirigir sob efeito de álcool ou drogas: dirigir embriagado ou alterado é uma infração gravíssima e pode levar à perda da CNH, além de multa. Sem considerar as penalizações, é um risco para a vida do motorista e dos pedestres, por isso, deve ser evitado a todo custo. 


  • Usar equipamentos de segurança: certifique-se de usar cinto de segurança enquanto estiver dirigindo e também que os passageiros estejam devidamente protegidos durante o percurso. No caso de motociclistas, o uso de capacete e outros equipamentos de proteção é essencial.


  • Manter o veículo em boas condições: realiza a manutenção preventiva do veículo regularmente, além de se certificar de que os freios, a suspensão e, principalmente, os pneus estejam em condições adequadas.



Gostou do conteúdo? Fique atento no trânsito e evite acidentes! 🚷


Não deixe de acompanhar nossas redes sociais: Facebook e Instagram. 📲

108 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page